19 setembro 2010

Barco à Deriva



Todo esse caminho percorrido
Nos dias desse tempo de tormenta
Me preparava para a inconcebível
Chegada da noite.

Naveguei toda a costa do mar interior
E não pude encontrar satisfação em nada.

Nem um relâmpago revelado,
Algo que me sacudisse
Mostrando uma centelha de luz.

Um encanto que surgisse
E dissolvesse o horror do espanto
E apagasse esse presente.

Pedi que se estabelecesse,
Um poder transbordante e exato,
Que sacudisse e modificasse
A intenção deste barco à deriva.

Que o mar de lágrimas se tornasse
Um remanso de calmaria
E se pudesse chegar com coragem
Ao fim deste dia.

Um comentário:

Laíza disse...

Oi Cell,
Tudo bom?
Meu nome é Laíza, moro em Belo Horizonte, sou aluna da Escola Tecnica de Formação Gerencial do SEBRAE.
Meu grupo e eu estamos elaborando um plano de negocios e a nossa ideia é: Transporte particular com carros adaptados para cadeirantes. Em uma de nossas pesquisas lemos uma entrevista que você deu e assim tivemos conhecimento de você e da sua deficiencia.
Gostariamos de receber seu e-mail para sabermos da sua opinião sobre o nosso projeto, caso tenha interesse em conversas com a gente entre em contado através do nosso e-mail: vitrineetfg10@gmail.com
Grata
Laíza